Voltar

Os anônimos do Sigrblot  foi projetado para chocar violentamente a consciência do homem politicamente correto comum – destruir tudo o que é sagrado na sociedade contemporânea.

Um vislumbre apenas da arte da capa já diz o suficiente: dois anjos esmagando duas torres com espadas ardentes é uma referência clara ao ataque terrorista do 11 de setembro. As anotações do livreto fazem referência a sujeitos como Alfred Rosenberg e Corneliu Codreanu; altamente politicamente incorreto, mas obviamente o tipo certo de combustível ideológico para produzir música altamente volátil, odiosa e agressiva.

“Blodsband (Blood Religion manifest)” trata o ouvinte de uma mistura única e complexa, porém explosiva, de elementos extremos de metal e folk. A banda passou três ou quatro anos escrevendo e gravando este álbum, e é uma obra de arte habilmente aperfeiçoada. Os traços estilísticos tornam óbvio que o Sigrblot é uma banda sueca, com muitas referências a bandas como Marduk, Allegiance, Dark Funeral e assim por diante. No entanto, Sigrblot é mais do que uma cópia genérica das bandas acima mencionadas. Eles temperam suas composições com peças folclóricas bem trabalhadas e amostras assustadoras.

A produção é o que descreveríamos como black metal muito verdadeiro. O som geral é muito analógico, com todos os instrumentos mostrando seu caráter real, em vez de um plástico excessivamente polido, com equalizador e compactado até a morte.

Se você está procurando um álbum com esse espírito verdadeiro do black metal e se você não se deixa levar por alguma propaganda política dúbia, dê uma olhada no “Blodsband (Blood religion manifest)”!

Envios a partir de 20 de Fevereiro*
*Os prazos de envio podem sofrer atrasos em decorrencia da liberação da alfandega e dos correios