Voltar

“At The Edge Of Time” não deixa absolutamente nenhuma dúvida de que o BLIND GUARDIAN é um dos protagonistas quando falamos de Metal Melódico, Power Metal e Metal Progressivo. No final dos anos 80 e início dos 90, a banda alemã conquistou os corações da comunidade headbangers com seus álbuns “Battalions Of Fear” (1988), “Follow The Blind” (1989), “Tales from The Twilight World” (1990) e “Somew h e r e Far Beyond” (1992). E para comemorar sua bem sucedida primeira turnê pelo Japão, o BLIND GUARDIAN lançou, em 1993, seu primeiro ao vivo “Tokyo Tales Live”.

Os álbuns “Imaginations from The Other Side” (1995), “The Forgotten Tales” (1996) e “Nightfall In Middle-Earth?” (1998) receberam um grande apoio de fãs e críticos, apesar das condições adversas que imperavam na indústria da música. Mas eles ainda tinham mais cartas na manga. Enquanto os quatro alemães alcançavam o status de “megaestrelas” na aqui na América do Sul, eles também se tornaram uma das bandas mais regulares, como convidados e headliners, em reconhecidos festivais como Bloodstock (Reino Unido), Bang Your Head! e Wacken Open Air, ambos da Alemanha. O ponto culminante dessas conquistas foi a criação do agora lendário “Blind Guardian Open Air”, um festival de dois dias na cidade alemã de Coburg, organizado e encabeçado em ambos os dias pela trupe de Kürsch, Olbrich & companhia em junho de 2003. Este foi o cenário para a gravação do DVD “Imaginations Through The Looking Glass” (2004) e para o álbum duplo “Live” (2003). Estes dois lançamentos ao vivo não apenas documentaram o aumento na sua base de fãs, mas continuaram a transmitir sua mensagem para seus leais e devotados antigos fãs.

Sempre que o BLIND GUARDIAN lançava alguma nova música, as primeiras posições nas paradas alemãs estavam reservadas e esperando por ela. O álbum conceitual “Nightfall In Middle-Earth” (1998), baseado no livro “O Silmarillion” de J.R.R. Tolkien, alcançou a 7º posição na Alemanha e permaneceu entre as 9 primeiras posições por dois meses. “A Night At The Opera” e “A Twist In The Myth” (2006), que apresentou os talentos do novo baterista Frederik Ehmke, atingiram o Top 5 e garantiram a reputação do BLIND GUARDIAN como uma das melhores bandas da época. A banda também provou ser igualmente bem-sucedida em outros ramos do entretenimento. Em 2008, eles compuseram uma música exclusiva para o jogo “Sacred 2: Fallen Angel” e se apresentaram “no palco” dentro deste como personagens animados. A banda também recebeu um prêmio de “Melhor Música” pela composição para o jogo “Radio Play”.

A nona obra-prima do BLIND GUARDIAN se chama “At The Edge Of Time” e exigiu 4 anos desde sua composição até sua produção final. Mais uma vez, o foco está no som brilhante de suas exclusivas composições orquestrais, que – como sempre – não precisaram de nenhum aprimoramento tecnológico.

“At The Edge Of Time” combina a excelência na composição, o caráter distintivo e a musicalidade de alto nível. O hino de abertura “Sacred Worlds”, os régios vocais em “Tanelorn (Into The Void)”, os incríveis coros e a base progressiva de “Road Of No Release”, a ultra rápida “Ride Into Obsession”, as belas guitarras e arranjos de flauta ao estilo folk de “Curse My Name”, o verdadeiro hino às “Valkyries”, os majestosos elementos de “Control The Divine”, as sequências clássicas de piano em “War Of The Thrones”, a velocidade por trás de “A Voice In The Dark” e o acorde final de “Wheel Of Time” trazem um equilíbrio massivo e meticuloso entre todas as orquestrações e toda a gama da expressiva voz de Kürsch, que traz uma lembrança da esplêndida grandeza da lenda atemporal Queen.

“A cada lançamento, queremos atingir um novo nível”, afirma Hansi Kürsch. Depois de todos os mundos que o BLIND GUARDIAN já nos levou desde 1988, poucos acreditariam que ainda existem terras inexploradas no âmbito musical. Mas “At The Edge Of Time” nos liberta do conceito de “terra firme” e nos transporta para a dimensão do tempo, onde a imaginação não conhece limites, onde todos os mundos existem ao mesmo tempo e onde toda a existência é recheada de ótimas músicas para qualquer momento.

EDIÇÃO ESPECIAL DUPLA DIGIPACK que inclui versões de pré-produção, orquestrais e demos além do clipe oficial da faixa “Sacred” e o documentário “A Journey to the Edge of Time”.

TRACK LIST

CD 1

1. Sacred Worlds
2. Tanelorn (Into The Void)
3. Road Of No Release
4. Ride Into Obsession
5. Curse My Name
6. Valkyries
7. Control The Divine
8. War Of The Thrones (Piano)
9. A Voice In The Dark
10. Wheel Of Time

CD 2

1. Sacred Worlds (Pre-production Version)
2. Wheel of Time (Orchestral Version)
3. You’re the Voice (John Farnham cover) (Radio Edit)
4. Tanelorn (Into the Void) (Demo Version)
5. Curse My Name (Demo Version)
6. A Voice in the Dark (Demo Version)
7. Sacred (Video Clip)
8. A Journey to the Edge of Time (Studio Documentary)

Peso 0.300 kg